GOL: A história do carro que fez história.

GOL: A história do carro que fez história.

Há exatos 40 anos era lançado, no dia 8 de maio de 1980, o Volkswagen GOL, carro de produção nacional que foi líder de vendas por 27 anos consecutivos, um feito jamais realizado por outro carro. 

Com DNA 100% brasileiro, o GOL que recebeu o nome de uma paixão nacional, foi o primeiro e único carro nacional a ultrapassar a marca de 5 milhões de unidades produzidas e foi exportado para mais de 50 países.

 

Confira um pouco da história do carro que fez história.

 

Em 1976 começou o desenvolvimento do projeto do VWGol, algumas características foram fundamentais para chegar ao conceito do carro como: resistência, economia e durabilidade. 

 

GOL G1

 

Gol G1

 

O primeiro Gol tinha motor refrigerado a ar, com 1.300 cm³ e 47 cv – o que era uma variação do usado no Fusca, carro chefe da Volkswagen na época – e câmbio com quatro marchas. Era oferecido nas versões S (simples) e L, ambas com duas portas. Recebeu o apelido de “Gol Chaleira” ou “Gol Batedeira” devido ao barulho característico que o motor fazia. 

Em 1981 o Gol ganhou um motor mais potente, com 1,6 litro e 67 cv, também refrigerado a ar. No ano seguinte, 1982, surgiu a série especial chamada Gol Copa, em homenagem a Copa do Mundo de Futebol daquele ano, com rodas de liga leve, para-choque na cor do veículo, forração especial e faróis de neblina.

A primeira versão com motor de quatro cilindros em linha, com refrigeração líquida e câmbio de cinco marchas, foi lançada em 1984. Logo em seguida viriam os motores 1,6 litro e o primeiro Gol GT, com 1,8 litro.

 

 

Em 1988 surgiu o Gol GTI, o primeiro carro brasileiro com injeção eletrônica, com um sistema analógico que teve que ser totalmente desenvolvido no país, já que na época a importação de equipamentos digitais era proibida. 

 

GOL G2

 

Gol g2

 

Em 1994 o Brasil conquistava seu Tetra na Copa do Mundo de Futebol e o GOL sofria sua  primeira grande transformação com o lançamento da segunda geração do modelo.

O design arredondado chamou a atenção e logo rendeu o apelido de “Gol Bolinha”. Foi uma grande evolução, passando a ter mais espaço interno, porta-malas maior, mais segurança e menor nível de ruído. 

Em 1998, o “Gol Bolinha” ganha a versão quatro portas, reflexo da nova tendência do mercado brasileiro influenciado pela novidades que chegavam ao país desde o início da década com a abertura das importações de veículos.

 

O GOL G2 teve três séries especiais: 

Rolling Stones: Comemoração a apresentação da banda Rolling Stones no festival Hollywood Rock de 1995. O carro que tinha motor AP-1600 com 76 cavalos e 12,3 kgfm, bem como dispunha de adesivo alusivo à versão na tampa do porta-malas e acabamento com tecido diferenciado

 

Atlanta: Homenagem às Olimpíadas de Atlanta ocorridas em 1996, o modelo tinha motores AP-1600 e AP-1800, este último com 90 cavalos e 14,3 kgfm. Esta série especial tinha como diferencial os faróis de duplo refletor e rodas de aço aro 14 com calotas.

O Gol Atlanta tinha direção hidráulica e ar-condicionado de série, além de volante esportivo de três raios, o mesmo do Gol GTI.

Star: Uma releitura de uma série especial do G1, e trazia motor AP-1600 com injeção multiponto e 89 cavalos com 13,2 kgfm.

 

GOL G3

 

 

Preste a comemorar 19 anos de seu lançamento, em maio de 1999,  o VW GOL ganhou um caráter mais esportivo e era encontrado nas versões: Básico, Luxo, Conforto e Estilo

Foi o primeiro carro do segmento, no Brasil, a oferecer cinco anos de garantia contra a corrosão, já que sua produção contava com maior uso de chapas zincadas, resistentes à ferrugem. 

Em 2001 superou o Fusca como carro mais vendido no Brasil. Em março de 2003, o Gol ganhou o motor 1.6 Total Flex, tornando o carro precursor da tecnologia flexível. No mesmo ano atingiu o marco de quatro milhões de unidades produzidas.

 

GOL G4

 

 

Tendo como principal concorrente o Palio, o Gol G4 lançado em 2005 com novo visual e alguns pontos que não agradaram tanto os consumidores, principalmente o acabamento interno que foi alvo de grandes críticas. O acabamento geral ficou mais simples com a retirada dos revestimentos em tecido da portas, passando a ser totalmente de plástico.

Teve três séries especiais: 

Copa: Em 2006 foi lançado uma série especial limitada em 16.000 unidades em homenagem a seleção brasileira pentacampeã, disponíveis nas cores vermelho Flash, amarelo Solar e branco Glacial, cinza Cosmos e prata Light, e com motorização 1.0l 8V Total Flex (68 cv – 71 cv) e 1.6 8V – Total Flex (97 cv – 99 cv).

Rallye: No ano de 2007 foi a vez do Gol Rallye, dotado de para-choques novos na cor cinza com faróis integrados, faróis com máscara negras, molduras nas caixas de rodas, bancos e volante diferenciados. O motor 1.6 Totalflex atinge até 103 cv.

Power G4 com interior do G3: Em 2008 foi acrescentado à lista de opcionais do modelo o pacote Air bag duplo, dotado de um interior mais sofisticado na cor cinza escuro. Suas vendas foram limitadas a frotistas. 

 

GOL G5

 

Gol G5

 

Em 2008, a Volkswagen corrigiu os principais problemas relacionados ao acabamento do GOL G4. O carro ganhou uma nova plataforma, com o motor e câmbio posicionados transversalmente, maior largura e maior altura, o que permitiu encurtar a carroceria. Uma nova suspensão e sistema de direção deram ao carro mais estabilidade e uma dirigibilidade superior ao modelo anterior. Um ano depois, o Gol G5 passou a oferecer, como opcional, a nova transmissão automatizada I-Motion.

 

GOL G6

 

Gol G6

 

Em 2012, a Volkswagen lançou o GOL G5.B, que foi apelidado de “GOL G6”, e inspirações no FOX, tinha novos faróis, nova grade, para-choques redesenhados, além de motor 1.0 VHT “TEC” e 1.6 EA111 (podendo receber câmbio I-motion) sendo ambos Flex, com injeção eletrônica e câmbio manual com 5 marchas. A versão Power (1.6) possui um motor de 104 cv, torque de 15,6 Kgfm.

 

GOL G7

 

Gol G7

 

Em 2016 chegava a versão do GOL G7, o interior e o painel foram completamente renovados com novas saídas de ar condicionado e o modelo ganhou uma central multimídia. O motor EA211 1.0L MPI de 3 cilindros e 12V, usado no VW UP!, foi adotado no Gol nas versões Trendline e Track. A Comfortline seguiram com o motor 1.6 de 4 cilindros e 8v EA111.

 

E você já teve um GOL? Nos conte sua história com um dos modelos de carro mais amados do Brasil. 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *