Quatro motivos para fazer a calibragem do estepe do seu carro

A matéria a seguir é uma reprodução do blog da Nakata, o link para a matéria original está no fim do texto. 

Ao dirigir, o risco de furos em seu pneu é inevitável, não é mesmo? Afinal, é possível passar em um buraco ou em um item que cause o problema. Por isso, é fundamental manter a calibragem do estepe em dia e com a pressão adequada, para que a sua substituição seja feita de forma rápida e segura.

Mesmo sem rodar, o estepe perde pressão. Por isso, ele deve sempre ser calibrado a fim de garantir o pleno funcionamento desse importante item de segurança do veículo em eventuais situações de emergência que possam ocorrer.

1. Garantir uma solução rápida em caso de problemas na estrada

Ao ter o pneu furado, é ideal que o motorista pare o veículo imediatamente e o substitua pelo estepe. Cada novo quilômetro rodado nessas condições acarretará a diminuição crítica da vida útil do item.

Além disso, essa situação provocará a instabilidade do veículo, afetando a dirigibilidade e a segurança, principalmente, em curvas. Nesse momento, caso não seja possível a imediata parada, o recomendado é manter a velocidade mínima possível.

O imprevisto será inevitavelmente agravado se ocorrer em estradas e rodovias, onde poderão incidir fatores extras como a falta de acostamento, iluminação, escassez de oficina e guincho, e até mesmo maior vulnerabilidade a assaltos por ter que deixar o carro parado.

Por isso, manter o estepe em perfeitas condições e saber utilizar os demais equipamentos de segurança são ações que ajudam a evitar que essa situação adversa seja ainda mais estressante.

2. Ter certeza de que ele estará de acordo com os demais pneus

A calibragem do estepe permite ao veículo condições similares em termos de dirigibilidade, conforto, estabilidade e consumo de combustível, durante a sua utilização. Assim como os demais pneus, sua calibragem pode ser feita com a mesma frequência, de preferência, semanalmente.

Ressaltamos que o estepe, por não rodar, acaba perdendo mais pressão. Nesse caso, você deve calibrá-lo com mais libras em relação aos pneus principais do carro. Lembre-se de checar no manual do veículo outras recomendações feitas pelas montadoras.

3. Assegurar a maior durabilidade do pneu

Os prejuízos ocasionados pela falta de manutenção dos pneus podem acarretar em danos como a redução de sua vida útil, o aumento no consumo de combustível e prejuízos ao alinhamento e balanceamento do veículo. E não para por aí: o uso de pneus e do estepe em condições não ideais pode comprometer outros componentes importantes, como a suspensão e os eixos.

Além disso, se o estepe tiver a mesma especificação dos pneus principais, você também pode incluí-lo no sistema de rodízio de pneus para garantir uma durabilidade ainda maior.

4. Identificar problemas com antecedência

Ao fazer a calibragem do estepe, você pode ficar atento à disponibilidade dos demais equipamentos necessários para fazer a troca dos pneus. Verifique se o macaco, a chave de roda e o triângulo, que geralmente ficam ao lado do estepe, estão em boas condições de uso.

É prudente estar preparado para utilizá-los antes de ocorrer uma emergência. Se o veículo tem rodas de liga leve e o estepe é de ferro, por exemplo, é preciso carregar parafusos específicos para esse material, para não haver o risco de dano ao sistema de freio.

Realizar a calibragem do estepe, além de gerar mais segurança e economia, ainda tem uma relevante vantagem: ter esse hábito regularmente não custa nada e evita prejuízos financeiros, além de ser fundamental para a sua segurança ao dirigir.

Agora que você chegou até aqui, deve ter percebido a importância de fazer a calibragem do estepe, não é mesmo? Por isso, adote essa importante medida e não se esqueça de que, ao deixar o carro parado por muito tempo, é importante calibrar todos os pneus imediatamente.

 

Crédito/matéria original: https://blog.nakata.com.br/calibragem-estepe/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *